Isso mesmo, fode!
Fode mesmo e fode com força!
Porque aqui só fica o que é quente e forte.

Entra em mim, me suga pra você!
Se alimenta do teu prazer, deixa ele guiar você,
Nele eu sei que você vai se perder…

E não adianta mesmo dizer que não,
E entrar em contradição.
Mesmo com raiva, eu sei que você vai me foder

E sabe o que eu tenho pra te dizer?

“- Tira logo essa tua roupa, e faz o que tu faz de melhor!”

Me despe, tira cada pedaço que envelopa a tua presa,
Presa, sim!
Pois quando chegas perto de mim, és só mais um animal irracional
Movido por cheiro e fome

Ah, e que fome é essa?

Que me encurrala, que me prende, me suga, me engole!

Tua fome é frenética, intensa magnética
Nem em mil anos de embriaguez da minha pele, do cheiro e do meu gosto, tua fome vai se saciar.

Até porque, sempre tenho bem mais pra te oferecer
Se não é no silêncio, te levo aos gritos
Se não é no escuro, é na aurora das ruas desertas, donas dos amantes irracionais
Pois é isso que somos: amantes irracionais e donos das ruas, donos do mundo

Se não é em casa, é no mundo
Deitados, de lado… ou até mesmo de quatro!

Essa tua fome é forte, intensa, selvagem
Essa tua fome é minha.

Nelma Dantas
Escritora na Página Floresça/Facebook
Colunista Portal Opinião